{premonição}


EXIF: f/5.6 | 1/60 seg. | 100 ISO | 60 mm
(edição: Polarr)
(avis – março 2019)

… if we never learn to be alone
we will always feel lonely…

Anúncios

{singela}


EXIF: f/5.6 | 1/100 seg. | 100 ISO | 60 mm
(edição: Polarr)
(avis – março 2019)

… never forget the people
who take time out of their day
to check up on you…

{e tu segues o teu}


EXIF: f/5.6 | 1/250 seg. | 100 ISO | 60 mm
(edição: Polarr)
(avis – março 2019)

... nothing hurts more then
being ignored,
replaced,
forgotten or lied to…

{sigo o meu caminho}


EXIF: f/8 | 1/250 seg. | 250 ISO | 60 mm
(edição: Polarr)
(avis – março 2019)

… give yourself enough respect
to walk away from someone
who doesn’t see your worth…

{esta lisboa}


EXIF: f/4.5 | 1/2500 seg. | 160 ISO | 8 mm
(edição: Polarr)
(lisboa – fevereiro 2019)

… voto de silêncio…

{isometrias}


EXIF: f/4.5 | 1/1000 seg. | 1000 ISO | 12 mm
(edição: Polarr)
(lisboa – fevereiro 2019)

… felizes, todas as mulheres...

{evaristo}


EXIF: f/4.5 | 1/1250 seg. | 1000 ISO | 7 mm
(edição: Polarr)
(lisboa – fevereiro 2019)

… será que tens cá disto?!

{por aí}


EXIF: f/2.8 | 1/2000 seg. | 80 ISO | 19 mm
(edição: Polarr)
(lisboa – fevereiro 2019)

… por essa lisboa…

{lisboa subterrânea}


EXIF: f/2.5 | 1/50 seg. | 2000 ISO | 6 mm
(edição: Polarr)
(lisboa – fevereiro 2019)

Os trinta e um pilares de 9,25 metros, com diferentes larguras, suportam os arcos em cantaria, que por sua vez sustentam as abóbadas. Sobre as abóbadas assentou a bacia (lago) munida com o repuxo. Tanto o lago como o repuxo estariam destinados a arejar as águas antes delas entrarem no depósito.
A água repuxada entrava no reservatório através de quatro aberturas colocadas no fundo da bacia, munidas com tubos que se prolongavam até à superfície da água e que funcionavam como escoadouros.

{reservatório da patriarcal}


EXIF: f/2.5 | 1/20 seg. | 2000 ISO | 9 mm
(edição: Polarr)
(lisboa – fevereiro 2019)

Instalado no subsolo do jardim do Príncipe Real, o Reservatório da Patriarcal, também denominado por Reservatório da Praça de D. Pedro V, foi projectado em 1856, integrado no projecto de abastecimento de água a Lisboa do Engenheiro francês Louis-Charles Mary.
Programado para abastecer a zona baixa da cidade de Lisboa, este reservatório foi construído entre 1860 e 1864. A sua forma octogonal coincide com a do polígono representado pelo gradeamento de ferro em volta do lago que está localizado sobre o depósito, no centro do jardim do Príncipe Real.
A cisterna, inicialmente abastecida pelo Aqueduto das Águas Livres e a partir de 1833 pelo sistema Alviela, foi edificada em alvenaria de pedra, sendo composta por dois compartimentos com capacidade total de 884m3 de água. A função principal deste reservatório foi a regulação da pressão entre o Reservatório do Arco (na Rua das Amoreiras) e a canalização da zona baixa da cidade.

{net}


EXIF: f/2.5 | 1/25 seg. | 2000 ISO | 13 mm
(edição: Polarr)
(lisboa – fevereiro 2019)

larga quem não te agarra!

96 anos de ti!
que feliz estou!

{de rua}


EXIF: f/2.8 | 1/2000 seg. | 80 ISO | 15 mm
(edição: Polarr)
(lisboa – fevereiro 2019)

“ninguém procura um lugar para estar,
procura um lugar, isso sim,
para ficar”

{fratais}


EXIF: f/2.8 | 1/320 seg. | 80 ISO | 06 mm
(edição: Polarr)
(lisboa – fevereiro 2019)

“a vida acontece no exato momento em que te esqueces
do que é certo e desfrutas do que é errado!”

{rã-comum}


EXIF: f/3.5 | 1/100 seg. | 100 ISO | 30 mm
(edição: Polarr)
(sanfins de ferreira – fevereiro 2019)

… sim, eu ’tou-te a ver…

{Tmuitos com vista}


EXIF: f/3.5 | 1/400 seg. | 100 ISO | 20 mm
(edição: Polarr)
(sanfins de ferreira – fevereiro 2019)

... se houvesse IMI à época, no local onde a citânia de Sanfins se encontra, muito alto seria o tributo…