{3}

b4

EXIF: f/6.3 | 1/125 seg. | 1000 ISO | 46 mm
(edição: PhotoFilter 7)

(batalha – julho 2016)

Que procuram afinal as raparigas deste país?
Rapazes ideais.
Com menos do que isso ficam maçadas.
Podem aturar rapazes não-ideais,
namorá-los, casá-los e até amá-los,
mas fica-lhes sempre atravessado aquele príncipe encantado que não veio.
E sonham secretamente que ainda está para chegar,
só um bocadinho atrasado.

(Miguel Esteves Cardoso)

AO MEU PRÍNCIPE ENCANTADO!

{abóbada}

b6

EXIF: f/4 | 1/40 seg. | 1600 ISO | 17 mm
(edição: PhotoFilter 7)

(batalha – julho 2016)

… abóbada da capela mor…

{galeria}

b7

EXIF: f/4 | 1/50 seg. | 1600 ISO | 17 mm
(edição: PhotoFilter 7)

(batalha – julho 2016)

As galerias … todas elas com sete tramos,
respeitando o traçado anterior,
com abóbadas em cruzaria de grandes chaves unidas por cadeia longitudinal,
sem mísulas, descansando em finos colunelos de um e de outro lado das paredes.

{panteão}

b5

EXIF: f/6.3 | 1/40 seg. | 1000 ISO | 17 mm
(edição: PhotoFilter 7)

(batalha – julho 2016)

Em 2016, o Mosteiro de Santa Maria da Vitória, na Batalha, passou a ter o estatuto de Panteão Nacional, sem prejuízo da prática do culto religioso, juntamente com o Mosteiro dos Jerónimos à semelhança do que aconteceu em 2003 com o Mosteiro de Santa Cruz (Coimbra) relativamente ao Panteão Nacional original de 1836 na Igreja de Santa Engrácia (Lisboa).

No Mosteiro da Batalha estão sepultados D. João I, D. Filipa de Lencastre, o infante D. Henrique,
o infante D. João, D. Isabel, D. Fernando, D. Afonso V,
D. João II, D. Duarte e também o Soldado Desconhecido.

{vistas}

b3

EXIF: f/4 | 1/25 seg. | 1250 ISO | 17 mm
(edição: PhotoFilter 7)

(batalha – julho 2016)

Património da Humanidade pels Unesco desde 1983

PS: … foi tão bom voltar a sair de casa com a mochila às costas…
tantas saudades…

 

{vitória}

b2

EXIF: f/3.2 | 1/40 seg. | 800 ISO | 17 mm
(edição: PhotoFilter 7)

(batalha – julho 2016)

Este excecional conjunto arquitetónico resultou do cumprimento de uma promessa
feita pelo rei D. João I, em agradecimento pela vitória em Aljubarrota,
batalha travada em 14 de agosto de 1385,
que lhe assegurou o trono e garantiu a independência de Portugal.

{fragments #4}

graf1

EXIF: f/2.8 | 1/100 seg. | 500 ISO | 30 mm
(edição: PhotoFilter 7)

(fradelos – julho 2016)

O medo é muitas vezes o muro que impede as pessoas de fazerem uma série de coisas.
Claro que o medo também pode ser positivo,
em certa medida ajuda a que se equilibrem alguns elementos
e se tenham certas coisas em consideração,
mas na maior parte dos casos é negativo, é algo que nos faz mal.

(JLP)

{fragments #3}

graf2

EXIF: f/2.8 | 1/50 seg. | 500 ISO | 24 mm
(edição: PhotoFilter 7)

(fradelos – julho 2016)

Não sei o que é a loucura ou a normalidade.
Para escrever é importante fugir da norma,
mas duvido que isso seja a loucura.

(JLP)

{fragments #2}

f6

EXIF: f/2.5 | 1/50 seg. | 500 ISO | 14 mm
(edição: PhotoFilter 7)

(fradelos – julho 2016)

A sinceridade em si é uma coisa que não passa pelas palavras mais óbvias.
Pode dizer-se a verdade a mentir.
Ser sincero é tentar dizer as coisas na sua globalidade
e ao fazer isso estamos a mudar qualquer coisa.

(JLP)

{fragments #1}

f7

EXIF: f/2.5 | 1/250 seg. | 500 ISO | 14 mm
(edição: PhotoFilter 7)

(fradelos – julho 2016)

Podemos ter muitas palavras para dizer uma coisa
que aparentemente é a mesma,
mas a verdade é que cada um a diz de uma forma diferente.
É por isso que as possibilidades de reprodução
do mundo pelas palavras são tantas.

(JLP)

{tool}

f2

EXIF: f/2.5 | 1/1250 seg. | 200 ISO | 6 mm
(edição: PhotoFilter 7)

(fradelos – julho 2016)

Há muitas coisas que percebo que não sou,
mas dizer exactamente o que sou não consigo.
Tento, dia a dia, ganhar o título de ser uma pessoa.
E já não é pouco.

(JLP)

{turquês}

f1

EXIF: f/2.5 | 1/1250 seg. | 200 ISO | 14 mm
(edição: PhotoFilter 7)

(fradelos – julho 2016)

Quando damos as mãos,
somos um barco feito de oceano,
a agitar-se sobre as ondas,
mas ancorado ao oceano pelo próprio oceano.

(JLP)

{in caos}

f4

EXIF: f/2.2 | 1/25 seg. | 500 ISO | 11 mm
(edição: PhotoFilter 7)

(fradelos – julho 2016)

Se te quiserem convencer de que é impossível,
diz-lhes que impossível é ficares calado,
impossível é não teres voz.

(JLP)

{aligned}

f3

EXIF: f/2.2 | 1/125 seg. | 500 ISO | 11 mm
(edição: PhotoFilter 7)

(fradelos – julho 2016)

Cada dia é sempre diferente dos outros, mesmo quando se faz aquilo que já se fez.
Porque nós somos sempre diferentes todos os dias,
estamos sempre a crescer e a saber cada vez mais,
mesmo quando percebemos que aquilo em que acreditávamos
não era certo e nos parece que voltámos atrás.
Nunca voltamos atrás.
Não se pode voltar atrás, não se pode deixar de crescer sempre,
não se pode não aprender.

(José Luís Peixoto)

{lascas}

f5

EXIF: f/2.2 | 1/25 seg. | 500 ISO | 11 mm
(edição: PhotoFilter 7)

(fradelos – julho 2016)

O único impossível é o que julgarmos que não somos capazes de construir.
Temos mãos e um número sem fim de habilidades que podemos fazer com elas.
Nenhum desses truques é deixá-las cair ao longo do corpo,
guardá-las nos bolsos, estendê-las à caridade.
Por isso, não vamos pedir, vamos exigir.
Havemos de repetir as vezes que forem necessárias: temos direito a viver.

(José Luís Peixoto)

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 32 outros seguidores